De quem é a culpa?

sexta-feira, 8 de abril de 2011

De tudo

(por Marlon Vilhena)

Trilha Sonora: All My Life (Foo Fighters).


Sob o teto de uma vida encontra-se de tudo: estilhaços, papéis jogados fora, entulhos, vestidos, escovas, tubos de pastas de dente enrolados e espremidos pela metade, cadernos com caligrafias vacilantes, equações de fórmulas antigas e outras descabidas, pneus furados, páginas despregadas de obras esquecidas, isqueiros varridos, camisas suadas, mofo se alastrando, fotografias sorridentes e falsas, mochilas descosturadas, cascas de banana ali, contratos acabados e outros rescindidos, tanta coisa, lenços assoados, discos arranhados e partidos, caixas de sapatos, sapatos, dicionários, manuais de instrução, pilhas gastas acolá, documentos, chaveiros, manchas de café, manchas de catchup, de mostarda, de molho inglês e à bolonhesa, prataria enegrecida, disparates, bermudas, coleções de selo, barbeadores, copos descartáveis e descartados, batons vulgares, bitucas, pedras brancas no outro canto, pedras negras por cima, yin, yang, filmes velhos e clichês, coleiras, gaiolas, aquários, partituras, tablaturas, muita, muita bugiganga, quadros, esculturas desfeitas, cadeiras, sofás, canudos, tíquetes de estacionamento, desculpas, velas, modelos, agendas, faturas pagas e não pagas, revistas de economia, revistas de mulher pelada, revistas científicas, revistas de nu masculino, que diferença, hein, relógios com ponteiros, calcinhas, relógios sem ponteiros, folhetos de espetáculos, barbantes, chapéus, poeira, cuidado com o nariz, óculos sem lentes, bonés, presilhas perdidas, anéis idem, brincos idem, cordões idem, sacolas, sacos plásticos, vasos trincados, escadas, mesas tortas, válvulas queimadas, misérias, cabides, espelhos, poucos espelhos, diários talvez, antenas, cuecas, panelas, alicates, talheres, chaves de fenda, tábuas de carne, chaves inglesas, saleiro, parafusos, conchas, buchas, cutelo, porcas, abridores de latas, pregos, abridores de garrafas, martelo, um é o bastante, pôsteres, medalhas, camisinhas de todos os tipos, chinelos, cintos, lâmpadas incandescentes, fluorescentes e as que não mais funcionam, fusíveis, bolsas, carteiras, piadas, cabos, televisores, aparelhos de som, fogão, geladeira, microondas, ou não, pentes, garrafa térmica, uma é o bastante, tesouras, pinças, telefone, jornais, pastas, campainha, ou não, inseticidas, raticidas, água sanitária, desinfetantes, sabões, sabonetes, amaciantes, veja só a máquina de lavar, ou não, e o tanque de roupas, as calças, baldes, bacias, lixeiras, como eu disse, muita, muita coisa, e outras mais.

 
E uma vassoura.

 
E um espanador.

 
E uma flanela.

 
Não, não tem pá.