De quem é a culpa?

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

TEU GOSTO (de Haroldo Brandão)

by Saul Leiter

“Ahh quisera esquecer a moça que se foi 
Do norte que perdi
Da morte que se foi”
(Milton Nascimento)
            
              Na primeira vez, já faz tempo
              Era só uma brincadeira
              De parceria e parceira
              Saímos na noite improvisadamente,
              Espalhando bom humor e beijos tão somente.
               Na segunda vez já tão sério,
               Comecei a viajar plenamente
                              Então...
               No céu da minha mente,
               No teu céu,
               De noite e aéreo,
               Aterrisei infelizmente.
               Nas últimas vezes,
               Fiquei com teu gosto
               Que não mais saiu de mim
          
                Quando finalmente deixou minha boca 
                Foi para virar memória
                E ficar no que tenho de mais profundo:
                Minha pele.
                Há no meu corpo um incêndio
                Que queima em esperança
                Corre em meu corpo um veneno
                Veneno que tem teu nome! *
                 Sigo então sem segredos...
                 E sem nexo
                 O gosto trás o desejo,
                 De um futuro não tão certo,
                 Uma lembrança tenho certeza
                 É o olor do teu sexo.    
 
                  
 
                   * Versos de  Ferreira Gullar