De quem é a culpa?

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Pensando no que aconteceu no fim de ano (de Ageu Pazoud)

by Willy Ronis

Começo o fim pelo meio
afagando minha alma
(tão cheia de lascívia)
Voltando a cumprimentar o início,
sem dizer muita coisa.
suspendo a mão direita,
estendendo-a,
dou meia volta.

Sabedor que não temos final feliz,
salto num instante.
Retorno ao meio,
e construo da vida
uma grande esteira,
furtando de tudo o momento final.

Recomeço o meio
sempre antes do instante
que já se confunde com o fim...
Mas é somente confusão.

O tempo em minha esteira
tem começo meio e fim.

Sabedor que não tivemos
um início tão feliz assim
salto em direção à um começo
enquadrado no centro,
e confundo fim com o início
e início com meio.

Em minha esteira mando eu!
Ninguém aqui a determina.
Minha esteira somente a mim
determina!

O terminal não chega nunca.
Fujo do presente como inicio,
que como passa, passado é
num breve instante.

Salto para o fim...
Um fim que já se confunde com o início
Mas é apenas confusão.

Corro por sobre a esteira
arredondando a vida
para buscar
extirpar as extremidades...
Suficiente para me confundir
a mente que maltrato.
Mas é apenas confusão.
Parto assim, sem fim
e nem começo.
Apenas começo do meio
fim do fim.