De quem é a culpa?

terça-feira, 22 de novembro de 2011

O KRAKEN DESPEDAÇADO (de Ageu Pazoud)


O kraken é poderoso
o kraken se quebra
quebra o barramento
em gesto cínico e oneroso
nada vem
nada se impõem
o poderoso kraken
determina,
apenas determina...

libertaram as legiões.
Clamam: soltem também os ladrões!
Soltem o Barrabás de nossas vidas!
demônios assombram as ruas.
gárgulas dão risadas.
o poderoso kraken comanda!
Comanda legiões de ladrões
e os leões uma vez domados,
urrafm... e gargalhando...e
gargalhando de mim!
 - o kraken comanda.

vão reter o sangue.
levarão entre os dentes
os leões que trocam entre si
as gargalhadas,
levarão entre os dentes...
o comando. com o comando
irão todos sucumbir.
subcumbirão
ao comando do kraken
salvador desperdiçado,
salvador despedaçado.
o castigo se aproxima,
tenebroso entre os mortais.
o kraken se quebra,
feito um mortal.
seu olhar ameaçador,
se desfaz em pedaços.
o castigo soergue a lascívia,
o rancor, e
nada mais resta...
pedras,
fragmentos,
em fragmentando o
desfragmentador de solidão.
a tudo se comanda.
o comando do kraken
que apenas se quebra
se despedaça em rancor
em lascívia,
soerguidos pelo castigo.
maldito, maldito kraken.