De quem é a culpa?

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

BAR INFERNO (de Marcos Salvatore)


Volto,
Chega o meu misto,
Como devagar por estar quente.

Olho pro balcão ao lado,
e algo se parece com um copo de bebida.

Princesa se senta. Garota Down.
Não deixo de pensar:
- “É você quem vai transar comigo, Baby?”

É tudo coisa de gosto:

Coisas juntas,
Porres juntos,
Canetas juntas,
Ressacas juntas.

Juncos separados. Tudo tipo. Não posso conter.
Não quero me prender à espera de alguém que se repete, sem pista.
Mesmo assim, me prendo. Pode crer.

E escrito na parede do banheiro estava:
“Venha, venha assim mesmo.
Me deixe morrer de morte merecida: suicida, homicida”.