De quem é a culpa?

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Um brinde! ( De: ReNê Romana)


Um brinde à doçura,à delicadeza, e a harmonia erótica.

Deixei poucas pessoas conhecerem a mulher que me habita.
Essa de verdade, cheia de imperfeições e desordens íntimas,mas que carrega mais ternura do que se pode imaginar.
Eu e minha fome de amor, e essa fragilidade engraçada.
Eu, essa moça que quer ser a protagonista de um sonho bom...
Não que eu quisesse um compromisso com a eternidade,
mas poucos souberam do meu corpo, das minhas marcas, das manhãs de preguiça
e do meu rosto sem maquiagem. É que eu preciso acreditar para me mostrar.
Porque se mostro meus medos, minhas incoerências e fraquezas,só o que consigo é uma rasteira, fico tão desabitada.

É,assim, eu fico assim, isso...fico assim como  uma cidade vazia.

Acho que é por isso que por muito, muito pouco, fecho a porta e volto para a minha vida! Mas hoje eu não quero mais ser assim tão desabitada, tão esse cenário de filme apocalíptico.
Prazer,entre, não se avexe não, não tente me surpreender,não tente me seduzir, não tente, entra logo e escreva com as pontas dos dedos um poema ao redor de minhas coxas, desça pela minha virilha e vem brincar de ser feliz aqui no meu triangulo das bermudas.